A vida de uma menina mulher contada de uma outra forma...

30
Out 08

Lá fora as gotas de chuvas ecoam no telhado...
Dou por mim a divagar e a olhar o cinzento do céu...desperto deste transe com a brisa gélida da janela!
A lareira brinca num jogo de dança em que cada labareda levanta e baixa e ao mesmo tempo...aquela dança aquece-me as entranhas!
O ambiente aconchega-me a alma provocando – me desejos ardentes! Procuro-te...sussurro-te ao ouvido para que abras aquela colheita fantástica para me deliciar...perdida no tempo e olhar ausente a minha cabeça revela uma imaginação sem fim...
Olho para ti e nem te dou tempo para nada...quero-te!
No chão quente do lume brincamos e exploramos onde a gota de vinho pode ir! Desliza daqui...e escorre para ali...Devoro-te com a sensação de não existir amanhã! Possuímos com a imensidão e a paixão que procuro em ti!
Rebeldes no anoitecer de Outono, por muito que seja morno aliciamos um ao outro! E por que a paixão nunca foi em vão...sorrimos e coramos!
O menino maroto não precisa que lhe diga onde deve ir...alias não se fala...por isso se diz que os olhos são o espelho da Alma!
Abrigo-me a ti despida de tudo...despida de pesos, de pensamentos e argumentos que procuro em ti...aliás de mim para ti! Não posso...digo-te, não posso continuar a insurgir-me com o meu coração! Não posso magoar-te nem magoar-me com esta paixão...este furacão de sentimentos que essa cara marota provoca em mim!
O silêncio provoca-me uma sensação de impotência sem fim...visto-me dou-te um beijo e saio...e tu ficas apenas a olhar para mim!

(Esta é pura ficção ehehehe)

publicado por pequenarebelde às 18:02
sinto-me: rebelde
música: Sara Tavares - Balancé

2 comentários:
Olá Pequena Rebelde gostei muito de ler este lindo e apaixonado post.Beijinhos, tudo de bom para ti e um bom fim de semana.
maria de fátima a 1 de Novembro de 2008 às 09:40

Pequenarebelde.
Leio o teu texto deliciado como se já tivesse vivido eu o fogo dessa paixão da alma em liberdade.
É Outono, sempre tão belo o Outono, quente de desejos, mas a razão atenta ao que de dentro nos reclama a serenidade. Não, agora não mais o corpo, é o tempo de cuidar da alma.
Haverá sempre quem ame a tua alma, com ou sem uma boa colheita, porque tu és o fogo, a chama que alimenta.
Bom Domingo, amiga
Beijinhos rebeldes
romanesco a 2 de Novembro de 2008 às 14:26

Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
17
18

19
20
22
23
24
25

26
28
29
31


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

3 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO