A vida de uma menina mulher contada de uma outra forma...

13
Jun 08

Anjo amigo anjo meu...Será que és tu que à noite  velas o meu sono!

Anjo que perdura nesta inconformidade de sentidos...de sentimentos.

Anjo solto que divagas sem nada sentir, que proteges,  que afagas, que compreende e nada pede em troca!

Tal como tu confortas os que sobrevivem, e consolas os que perdem alguém, os que choram porque perderam....os que choram porque não agiram, também eu gostava de dar e não esperar nada em troca!

Anjo querido...diz-me tu que procuras neste mundo maravilhoso cheio de falsas crenças e de falsas ilusões!

O Amor?

Palavra tão bela e tão distante! Quem dera eu saber usa-la tal como tu acaricias o rosto de um bebé! Quem me dera saber viver neste mundo de tão controversos sentidos! Quiçá um dia irei ter a sabedoria necessária para poder usa-los e no ouvido de alguém sussurrar: Amo-te!
Perdoa-me anjo meu que estou prestes a desistir....desistir de usar a palavra, fechar o coração...preciso de alguém que me dê a mão e que me retire desta longa solidão....
Perdoa-me anjo meu por ter o meu coração por estares tão sombrio que não te ouço falar ao coração....perdoa-me....

 

publicado por pequenarebelde às 17:46
sinto-me: sem esperança
música: Angels
tags:

comentário:
Querida rebelde.
Faz com que essa rebeldia afaste pensamentos menos positivos.
Quem de nós não sente, sentiu já essa solidão?
Eu penso que as coisas por vezes são assim. Sonhar pelo menos uma vez com amor, em vez de o fazer. Entender o que uma vez li algures; “…uns tocam-nos o corpo sem nunca nos terem tocado a alma... e outros tocam-nos a alma sem nunca nos terem tocado o corpo..."
Passo em revista com os olhos semicerrados, os barcos puxados para terra, esperando com ansiedade pelo verão, para voltarem a reviver.
Parecia o cenário de um teatro, mas em dia de descanso. As poltronas cobertas, o palco despido de cenários e de voz humana. E eu? O actor, o comediante ensaiando o meu papel. Que papel? Talvez seja por isso que me encontro aqui em solidão, quase como no degredo.
Que papel, que emprego? Para galã, já não tenho idade. Para velho gaiteiro, por favor… ainda não.
Para onde me leva esta solidão e esta angústia constante?

Beijo
joão Cordeiro a 14 de Junho de 2008 às 14:35

Junho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
14

15
16
17
18
19
21

22
23
24
25
27
28

29
30


mais sobre mim

ver perfil

seguir perfil

3 seguidores

pesquisar neste blog
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO